Ressonância magnética: Saiba tudo sobre o exame10 minutos de leitura

Whatsapp Compartilhar

A ressonância magnética (RM) trata-se de um exame de diagnóstico por imagem que utiliza campos magnéticos e ondas de radiofrequência para criar imagens detalhadas do interior do corpo humano. Essa técnica é considerada um dos métodos mais avançados para visualizar órgãos, tecidos moles, ossos e outras estruturas internas do corpo.

A ressonância magnética revolucionou a forma de se analisar o corpo humano. Por isso, é utilizada em praticamente todas as especialidades médicas e por pacientes de todas as idades, incluindo bebês. 

O procedimento é indolor, não invasivo e seguro, mas pode não ser recomendado para todas as pessoas, principalmente para aqueles que possuem dispositivos médicos como marcapassos ou implantes metálicos

Continue lendo para saber mais sobre a ressonância magnética e suas indicações.

Quando a ressonância magnética é indicada

O exame de ressonância magnética é indicado em diversas situações onde o médico necessita de informações sobre as estruturas internas do corpo para realizar diagnósticos precisos ou tratamentos eficientes. 

O exame de ressonância magnética é usado na análise de doenças cardíacas, abdominais, cervicais, neurológicas e ortopédicas.

Trata-se de um procedimento indolor de grande precisão, que produz imagens em 2D e 3D com alta definição dos órgãos.

Como o nível de detalhes das imagens geradas é alto, a ressonância magnética é indicada para a identificação de problemas bastante variados: desde câncer, infartos e fraturas até inflamações no cérebro e alterações nos vasos sanguíneos.

Exemplos práticos da necessidade da ressonância magnética:

Na ortopedia

Os ortopedistas utilizam a ressonância magnética para avaliar os tecidos moles, como músculos e cartilagens, para detectar lesões de ligamento, tendinites, cistos e hérnias de disco.

Na neurologia

Os neurologistas solicitam o exame para analisar com maior precisão problemas como atrofias e lesões nos vasos sanguíneos cerebrais. Essas condições podem, dentre outras coisas, indicar um acidente vascular cerebral (AVC), doença de Alzheimer, esclerose múltipla e até tumores no cérebro.

Na cardiologia

O cardiologista pode solicitar uma ressonância magnética do coração, conhecida como ressonância magnética cardíaca, para obter informações sobre a estrutura e a função do coração. Algumas das principais indicações para a realização desse exame incluem: avaliação da função cardíaca; avaliação de cardiomiopatias; diagnóstico de doenças cardíacas do coração; detecção e caracterização de tumores cardíacos; avaliação de doenças das artérias coronárias; entre outras. 

Na ginecologia

Na ginecologia a ressonância magnética pode ser solicitada para ajudar no diagnóstico e acompanhamento de várias condições, como miomas uterinos, pólipos endometriais, adenomiose (crescimento do tecido endometrial na parede do útero), cistos ovarianos e endometriose.

Ressonância magnética é parte da rotina de cuidados com a saúde da mulher

O médico ginecologista pode solicitar uma ressonância magnética em diferentes situações para obter informações relacionadas à região pélvica, mama e órgãos reprodutivos da mulher. 

A recomendação dos especialistas é de que o procedimento seja feito junto com a mamografia para auxiliar no diagnóstico do câncer de mama quando há alto risco para a doença.

Para ter ideia da relevância da ressonância magnética, quando a questão é a detecção de câncer em pacientes com ou sem próteses mamárias, o grau de precisão é de 88% a 100% – quando comparado com outros métodos, como a cintilografia.

As principais indicações da ressonância magnética para casos de suspeita ou diagnóstico de câncer de mama são:

  • Diagnóstico preciso quando há divergência entre os resultados do ultrassom e mamografia na análise de um nódulo;
  • Diferenciar a cicatriz cirúrgica;
  • Analisar se houve a recidiva tumoral (volta do tumor);
  • Analisar mamas pós-radioterapia;
  • Analisar mamas após a quimioterapia.

Além disso, o exame é de grande importância para a saúde da mulher por possibilitar o diagnóstico de doenças intrauterinas.

Importante: a RM é um exame seguro, mas deve ser indicado criteriosamente, levando em consideração fatores como a idade da paciente, histórico médico e outros exames realizados anteriormente. Sempre siga as orientações do seu médico e esclareça dúvidas sobre a necessidade e os benefícios da realização da ressonância magnética no seu caso específico.

Saiba como é realizada a ressonância magnética

Para a realização do exame de ressonância magnética, utiliza-se uma grande máquina, onde as imagens dos órgãos internos são criadas por meio de um campo magnético.

Isso acontece porque o magnetismo provoca uma agitação das moléculas do corpo. Essa movimentação é captada pelo aparelho e transferida para um computador na forma de imagens.

Em geral, o tempo total de duração do exame é de 15 a 30 minutos. Mas pode durar até 2 horas, dependendo da área a ser examinada.

Os tipos de ressonância magnética também variam conforme o local examinado. Confira abaixo os exames de ressonância magnética mais comuns e suas principais indicações:

Ressonância magnética da pelve, abdômen ou tórax

A ressonância magnética de pelve, abdômen ou tórax ajuda no diagnóstico de tumores ou massas em órgãos como útero, intestino, ovários, próstata, bexiga, pâncreas ou até coração.

Ressonância magnética do crânio

Esse exame ajuda a avaliar malformações cerebrais, hemorragia interna, trombose cerebral, tumores e outras alterações ou infecções no cérebro e suas veias.

Ressonância magnética da coluna

A ressonância magnética da coluna auxilia no diagnóstico de problemas na coluna e medula espinhal, como tumores, calcificações ou fragmentos de ossos após fraturas.

Ressonância magnética de articulações

Esse exame analisa articulações como ombros, joelhos ou tornozelos e serve para avaliar os tecidos moles dentro delas, como a bursa, tendões e ligamentos.

Ressonância magnética do cérebro e da medula espinhal

Ajuda no diagnóstico de aneurismas de vasos cerebrais, distúrbios do olho e do ouvido interno. Também ajuda em casos de esclerose múltipla, traumatismos da medula espinhal, derrame, lesão cerebral por trauma e tumores.

Ressonância magnética do coração e vasos sanguíneos

Consegue avaliar a dimensão e a função das cavidades cardíacas, a espessura e movimentação das paredes do coração, bloqueios nos vasos sanguíneos e aneurismas. O exame também pode determinar qual foi a extensão do dano causado por um ataque cardíaco ou doença cardíaca.

Ressonância magnética de órgãos internos

A ressonância magnética dos órgãos internos consegue detectar tumores e outras anormalidades em diversos órgãos do corpo, como fígado, rins, baço, pâncreas, útero, ovários e próstata.

Ressonância magnética de ossos e articulações

Esse tipo de ressonância magnética auxilia na avaliação das articulações, como cartilagens e ligamentos, consideradas anormais por lesões traumáticas ou repetidas. Também identifica anormalidades existentes nos discos na coluna, infecções ósseas e tumores nos ossos e tecidos moles.

Ressonância magnética da mama

Indicada junto com a mamografia, esse tipo de exame é usado para detectar o câncer de mama, particularmente em mulheres que têm tecido mamário denso, usam próteses de silicone ou têm risco aumentado de desenvolver a doença.

Ressonância magnética infantil

A ressonância magnética oferece várias vantagens importantes para o diagnóstico e tratamento de crianças em comparação com outros métodos de imagem. 

Esse exame é recomendado para crianças por não ser invasivo nem emitir radiações ionizantes, cujos efeitos são cumulativos e mais prejudiciais para essa faixa etária, com muitas células imaturas.

Além disso, o contraste utilizado na ressonância magnética praticamente não causa reações alérgicas, o que é outra vantagem importante para os pequenos.

Lembrando que, para a realização do exame em crianças, geralmente, é necessário sedação para que elas fiquem mais tranquilas.

Na pediatria, a principal indicação do procedimento é para casos de tumores, doenças crônicas, problemas respiratórios, ortopédicos, cardíacos, abdominais, pélvicos e malformações encefálicas.

Passo a passo do exame de ressonância magnética

Conheça as principais recomendações para a realização, o que acontece durante o procedimento e como você deve proceder após o atendimento.

Antes do exame

  • Em alguns casos, o jejum de 4 horas é necessário. Do contrário, você está livre para se alimentar de forma leve;
  • O uso de qualquer medicamento é liberado, a menos que o exame seja específico para a vesícula biliar;
  • Para obter uma imagem mais nítida, em alguns casos, um contraste sem iodo pode ser administrado por uma linha intravenosa;
  • Se você já teve uma reação ao gadolínio, informe ao médico e ao técnico da ressonância magnética. O mesmo vale em caso de diálise ou doença renal;
  • Se você tiver claustrofobia, informe ao técnico. Se precisar de um sedativo, uma enfermeira fornecerá instruções adicionais;
  • Se tiver qualquer objeto de metal dentro do corpo, como marca-passo, clipes de aneurisma, placa de metal, grampos de cirurgia ou prótese recentes, informe ao técnico;
  • Grampos de cabelo, jóias, relógios, aparelhos auditivos e dentaduras devem ser removidos;
  • Até mesmo tatuagens devem ser avaliadas, já que algumas tintas contêm ferro. Pelo mesmo motivo, não é permitido o uso de maquiagem, spray ou laquê de cabelo.

Durante o exame

  • Ambas as extremidades da máquina de ressonância magnética são abertas;
  • Você se deita em uma mesa acolchoada que desliza para dentro dessa máquina, que se parece um tubo;
  • Uma bobina, que é um receptor que aprimora a imagem, pode ser colocada em volta da parte do corpo que será digitalizada. Em geral, isso é necessário para cabeça, joelho ou abdômen;
  • Enquanto você estiver no centro da máquina, o corpo é examinado;
  • A imagem pode ser distorcida pelo movimento. Então, nesse momento, é importante que permaneça completamente imóvel para que o resultado seja o mais preciso possível. Tente relaxar;
  • Se precisar de ajuda, use a campainha para chamar a equipe, ela fica de olho em você o tempo todo através de uma janela de vidro;
  • Você ainda recebe tampões de ouvido para reduzir o incômodo do barulho da máquina de ressonância magnética. Mas é possível ouvir e se comunicar com a equipe por meio de um microfone;
  • O procedimento é indolor e leva de 20 a 90 minutos.

 

Depois do exame

  • A menos que tenha recebido um sedativo, você pode continuar suas atividades normais logo após o exame;
  • Contate o seu médico de referência se sentir desconforto ou quaisquer outros sintomas inesperados após a ressonância magnética;
  • Um radiologista examinará as imagens obtidas e seus resultados ficarão disponíveis para retirada assim que possível.

Como é a ressonância magnética no Laboratório Hermes Pardini

A ressonância magnética nas unidades Hermes Pardini conta com aparelhos de alto campo magnético (1,5 e 3 Tesla) para realização do exame, gerando imagens de alta qualidade e resolução para 50 tipos de ressonância magnética.

No dia do exame, é muito importante que você chegue à unidade com 30 minutos de antecedência ao horário agendado.

Sempre que tiver exames de imagem anteriores da mesma região a ser analisada, procure levar os resultados para uma análise comparativa.

Também é importante responder ao questionário sobre alergias no momento da marcação do exame, a fim de evitar imprevistos no momento do exame de ressonância magnética.

Todas essas orientações são para que o seu procedimento ocorra da melhor forma possível e forneça resultados precisos, que contribuam efetivamente para o seu tratamento!

Agende um exame de ressonância magnética on-line na unidade Hermes Pardini mais próxima de você:

 

4.9/5 - (11 votes)